UFC – Confrontos inimagináveis

 

(crônica publicada no site Vida Breve

Ilustração: Rafa Camargo

Quando passa o antigo vale-tudo e os camaradas começam a se estapear, trocando golpes que desafiam as leis fundamentais da ternura e fazem cair por terra os recados que o papa deixou na recente visita ao Brasil (em Varginha, o Sumo Pontífice fez a maior revelação da Igreja até hoje: “vocês não estão sozinhos”, para o gáudio dos ufólogos ortodoxos e praticantes), fico pensando em coisas que não fazem muito sentido a não ser aqui nesta crônica. Será que em algum tempo esse octógono irá se tornar a grande arena de confrontos, resumindo os conflitos ideológicos e embates acadêmicos, políticos e existenciais a um ringue de porradarias comendo soltas? Num exercício mais ou menos exato de futurologia, tento imaginar algumas lutas que caberiam numa versão Premium do UFC, e que desfecho teriam.

 

Nelson Rodrigues X Lei Maria da Penha

Nelsão já chega batendo pra dizer quem manda, alegando que nem todas as mulheres gostam de apanhar, só as normais. Penha se defende com sutiãs queimados e argumentação segundo a qual o machismo é coisa de gerações tacanhas e ultrapassadas, oferecendo ainda um vale-curso de metrossexual para o dramaturgo e seus personagens canalhas, que imediatamente vaiam da plateia. Rodrigues se desvia dizendo que tudo não passa de inveja do pênis, especialmente ao se poder urinar de pé. Mas antes de revidar leva um safanão de Penha, que treinou MMA com cantoras de MPB decididas a mostrar quem é o sexo frágil da vez. Nelson cai desfalecido cantando marchinhas, sob os olhares de repreensão da Moral Burguesa, que seria a próxima adversária.

Eike Batista X Humildade

Antes de Eike entrar no octógono, vários seguranças se certificaram de bater muito na Humildade. Filho de pai rico, pai de filho idem, chama o seu moleque para ajudar na luta, e o garoto de nobreza nórdica já chega atropelando. Humildade tenta mostrar que ali estão em condições iguais, mas com uma gargalhada um advogado joga no ringue uma nova análise da perícia indicando que o bilionário avança nos negócios em velocidade permitida.  O ricaço tenta fazer graça dizendo que nem tudo é dinheiro, mas tudo é a falta de dinheiro, quando Humildade tenta se defender com um carnê do Baú da Felicidade e saudade das lojas Tamacavi. Tudo parece indicar a vitória de Eike, quando ele enfim tropeça na própria soberba e os investidores saem de cena, levando o empresário de cara no chão, onde havia um X desenhado.

Mídia Ninja X Fanzineiros Clássicos

Eles são rápidos e da concentração há um link para quem quiser assistir aos treinamentos em tempo real. Mas ao entrar no octógono os ninjas são recebidos pelos fanzineiros, vestidos de samurais, que os atacam com tipos móveis. Os ninjas lançam mão de uma nota preta conseguida por um edital público, oferecendo uma porrada de infraestrutura para os coroas se atualizarem, aos gritos de que o wi-fi é grátis. Os zineiros gastam logo a grana em xerox reduzidas e montagens toscas, atirando os jornalecos simples e afiados nos novos media man, que desconheciam as técnicas de luta da imprensa alternativa, e assim tonteiam. Os samurais da mídia tentam salvaguardar sua honra afirmando que ninguém vai lhes passar o beiço, e assim derrubam os ninjas, que partem para Brasília a fim de atirar shurikens num movimento chamado Fora do Eixão.

Casamento X Super Mario

Sob o peso institucional e anos de tradição, Casamento entra no octógono comprometido. As mulheres da plateia clamam por ele — nem tanto as que torciam pela Lei Maria da Penha da outra luta — e jogam buquês dentro da arena, fortalecendo-o diante do adversário. Mario vem de uma vitória fácil sobre Tese de Doutorado, e entrou na luta aos saltos, estimulado pela popularização entre os muitos geeks presentes, que apresentavam estudos comprovando que a próxima geração de videogames já pode com folga vencer o Casamento e ocupar o lugar no pódio. O encanador de voz fina come um cogumelo alucinógeno e, doidão, cresce para cima do oponente, que esquiva pedindo trégua e promessas de convívio tranquilo e harmonioso. Super Mario entra pelo cano e depois da luta busca seu espaço dentro do Casamento.

IMPA X Quadradinho de oito

Poucos acreditaram quando o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada aceitou entrar na contenda contra o Quadradinho de oito. Os rapazes entram no octógono pensando em dar a resposta de 64 e voltar ao treino da Olimpíada de Matemática, mas são surpreendidos pelas moças se contorcendo no chão com as partes pudentas viradas para cima. IMPA reage a partir de técnicas desenvolvidas em pesquisas de Onanotecnologia, prestando tributos ao solitário vício da autoajuda. Quadradinho é poderosa e golpeia com um consertesa, um nada haver e mais uma série inesgotável de barbarismos e solecismos. Mas IMPA é calculista e senta dois catetos no Quadradinho, cuja hipotenusa fica caída e joga a toalha, saindo do ringue postando no Face: #chatiada.

__________________________________

Comente

Assunto crônica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *