um poema-bobagem antigo

BACALHAU PORTUGUÊS

Ó bacalhau salgado, quanto do teu sal
Vem dos mares de Portugal!
Por te almoçarem, quantas raparigas,
Com vários pratos nas barrigas,
Passaram tardes no hospital.
Por tua causa, ó bacalhau!

E vale a pena? Tudo vale a pena
Quando a indigestão é pequena.
Quem fizer bacalhoada, que aceite:
Tem é que carregar no azeite.
Deus no mar deu sal, e o bacalhau fez,
Mas fez também o norueguês.

A partir de “Mar Português”, de Fernando Pessoa

3 Comentários

Assunto poesia

3 Responses to um poema-bobagem antigo

  1. Angela Dutra de Menezes

    Maravilha, Henrique. Super criativo. Os chatos vão considerar heresia. Não conhecem a sua cabeça ótima, de vanguarda. Sou sua fã. Bjs :)))))

  2. Li seu texto e gostei. Espero que goste dos meus. Abraços.

  3. joana neto

    O poema anterior é bem sucedido e acho que tem um tema e que aí esse foi respeitado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *