SONETILHO PARA AS DUAS CHUVAS

A nuvem que, plena, chora
As lágrimas na janela
Te faz parecer aquela
Imagem que tem lá fora.

Você chove dentro, e embora
Nenhuma gota singela
Derrame, é mesmo com ela,
A seco, que inunda agora.

Teriam então diferenças
As duas chuvas imensas?
Enquanto uma escorre, a outra arde

Nos seus olhos tão vermelhos,
Que desenham numa tarde
Janelas mais como espelhos.

Comente

Assunto poesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *